Pin It
0

O que o coordenador precisa olhar nas paredes de uma sala de aula

Para fazer uma observação de qualidade, o primeiro passo é definir o que vai ser o foco de sua visita. Seja o espaço, uma aplicação específica do planejamento, a interação entre o professor e as crianças ou entre os alunos, a introdução das aulas, enfim.

O importante é elencar um item que seja prioritário no momento e, durante as observações, não perder o foco.
No primeiro semestre deste ano, o olhar se concentra no espaço da sala de aula. Em geral, começo a fazer visitas nas classes depois de um mês de aulas, mais ou menos. A cada início do período letivo, as salas ficam com as paredes vazias, sem cartazes, calendário, alfabeto ou lista de nomes dos alunos.

Assim que os conteúdos começam a ser trabalhados, o ambiente passa a ganhar vida e ser habitado pelos materiais.

Gosto de acompanhar essa mudança acontecendo.

Como estou sempre me comunicando com as professoras, elas me dizem quando vai começar um projeto didático, e organizo minha agenda com base nisso. Antes, as docentes só preenchiam as paredes quando iam receber algum convidado, e não cotidianamente, como deveria ser.
Depois que comecei a fazer visitas com mais regularidade e conversar com elas sobre o uso do espaço, percebi uma melhor ocupação das paredes.
A sala de aula deve refletir o que as crianças estão estudando e o que estão produzindo nas disciplinas. Descobertas, reflexões, dúvidas e curiosidades podem ter espaço nessas paredes.

Como coordenadora, considero alguns aspectos importantes na hora de compor minha pauta de observação. São eles:
– As paredes têm indícios do que as crianças estão estudando em cada disciplina? Há espaço para todas elas, e registro dos professores para auxiliar os alunos, como lembretes de conteúdos?
– As paredes indicam quais projetos estão sendo realizados?
– Há cartazes com dados como quais foram e quando aconteceram as leituras realizadas pela turma, calendário e lista de nomes das crianças?
– Há textos, atividades de Arte e outras produções dos alunos?
– Existe espaço para informações como lembretes de conteúdos aprendidos e exemplos de resolução de problemas?
– Os cartazes estão em uma altura adequada em relação ao tamanho das crianças? Elas conseguem ler suas informações com facilidade?
– Sobrou algum espaço para divulgação de coisas novas e interessantes?

É claro que as paredes de uma sala de aula nem sempre comportam tantas coisas ao mesmo tempo, mas os itens listados são importantes, e devem circular com flexibilidade e alguma frequência durante o período de trabalho. Por isso, aqui entra outro item no planejamento das observações: a periodicidade.

Nunca faço a observação do espaço uma única vez no ano. Essa frequência de visitas, que deve ser acordada entre o coordenador e sua equipe, é importante justamente para ter um tempo maior para verificar se todos os itens foram contemplados pelo menos uma vez. No meu caso, foco meu olhar nas paredes pelo menos três vezes durante o semestre.

O mais importante, nesse processo, é que a sala de aula esteja organizada de forma que possa fazer diferença e auxiliar as crianças. Assim, aquele ambiente se torna acolhedor e propício ao desenvolvimento de atividades e capacidades da turma.

Gostou? Compartilhe esse post em sua rede social
.

Comente!

Enviar Comentário

Por: Tia Lu © 2017 Todos os direitos reservados.
Orgulhosamente mantido com WordPress.